Designação do projeto | FOGdigest - Ativação da unidade piloto de reator IASB

Código do projeto | POCI-01-0247-FEDER-017679

Objetivo principal | Reforçar a investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação

Região de intervenção | Norte

Entidade beneficiária | LUSÁGUA - SERVIÇOS AMBIENTAIS, S.A. / Universidade do Minho

Data da aprovação | 30-08-2016

Data de início | 01-12-2016

Data de conclusão | 24-05-2018

Custo total elegível | 285 308,75 EUR

Apoio financeiro da União Europeia | FEDER 157 690,78

 

Objetivos do projeto

O Projeto FOG Digest pretende efetuar um ensaio à escala industrial, demonstrador da viabilidade técnica e económica de um reator de digestão anaeróbia, com caraterísticas inovadoras – o IASB (ver def) – no tratamento de efluentes industriais com elevadas concentrações de gorduras, sobretudo, ácidos gordos voláteis de cadeia longa, transformando o que é, num sistema de digestão convencional, um problema operacional, numa mais valia para a produção de biogás – as gorduras.

 

Resultados esperados

Num contexto de economia circular, pretende-se com o ensaio demonstrar a potenciação da capacidade de produção de biogás, a partir de um efluente rico em gorduras; quantificando o valor económico do mesmo, assim como a viabilidade do investimento, face a que são, usualmente, os custos de exploração e condução a destino final dos subprodutos do tratamento destes efluentes.

O ensaio em si, pretende responder a três questões de caráter operacional, as quais se identificaram cruciais em ensaios realizados anteriormente com a instalação piloto:

  1. Adaptação do processo de tratamento a arranque em condições de intermitência de adução de afluente.
  2. Caracterização da qualidade e volume do biogás produzido e respetiva correlação com o regime de operação da unidade.
  3. Protocolo de monitorização dos parâmetros críticos de operação, tendo em vista a afinação do processo e maximização da produção de biogás.

 

Consórcio promotor

O consórcio promotor é constituído pela Luságua e pela Universidade do Minho – centro de IDI responsável pelo desenvolvimento científico da tecnologia – e pela Beira Lamego; cliente industrial, com instalação de abate de aves, onde Luságua é responsável pela exploração da instalações de tratamento de efluentes.

 

Faseamento do projeto